desde 1980

A Ansa Sou Eu

Orgulho e alegria de ser da ANSA

O artilheiro da ANSA

Tido e havido como artilheiro do time dos servidores do Campeonato de Futebol, promovido pela ANSA, no âmbito do Ministério da Agricultura, Rusberto do Vale Oliveira, o Beto, não dava apenas show de bola. No Mapa desde 1980, e na ANSA desde 82, o servidor empresta sua expertise à Divisão de Benefícios da Coordenação Geral de Administração de Pessoas - CGAP, desde sempre, o que significa dizer que assistiu a mudança de nomes de sua Coordenação, que foi Departamento de Pessoal, virou Recursos Humanos até tornar-se o que é hoje. A paixão pela ANSA é explicada em poucas palavras: “Sinto-me em casa. É como uma família”.

Além da questão emocional, Beto cita os benefícios dos quais sempre usufruiu e que ele considera como salário indireto. “O Programa de Cooperação Técnica MAPA x ANSA cuida da Saúde Bucal do meu grupo familiar. E por não ter fins lucrativos a ANSA por meio desse benefício assistencial, fornecido por Cirurgiões Dentistas com larga experiência profissional, nos ajuda muito a suportar a implementação do nosso tratamento odontológico com baixo custo, se tornando um “salário indireto” para nós associados. Haja vista que muito em função do alto quantitativo de vidas beneficiadas, cerca de 2.800 usuários, esse Programa Assistencial tornou-se um modelo para as demais Entidades de Classe dos Servidores Públicos Federais. Além disso, há muitos outros benefícios que a ANSA proporciona aos seus associados como os convênios de óticas, instituições educacionais e comerciais, o Vale Card e a assessoria jurídica”, ressalta.

No mais é o saudosismo que fala: “Tenho saudade dos eventos esportivos que tínhamos, quando a sede campestre existia. Nesse clube maravilhoso tínhamos atividades esportivas e o espaço de lazer o que nos permitia estreitar os laços, que no MAPA eram profissionais, e na sede foram se tornando fraternos”.

Quem é Rusberto do Vale Oliveira

Servidor do MAPA, entrou na instituição em 1980. Em 82 associou-se à ANSA e participou efetivamente assumindo uma cadeira nos conselhos Fiscal e de Administração. Ou seja, conhece a ANSA por dentro e por fora.

Formado em Administração e pós-graduando em Políticas Públicas e Municipais, Beto é um dos administradores do Plano de Saúde do MAPA, em nível nacional, conhecendo à profundidade o perfil de assistência médica dos servidores.

Atleta do time de futebol que participava dos campeonatos promovidos pela ANSA e que viajaram para disputas nacionais (Rio de Janeiro e Goiás), foi artilheiro do campeonato da ANSA, garantindo com orgulho vários dos troféus que a entidade ostenta em suas estantes.

Companheiro do hoje deputado federal Rôney Nemer, ilustre associado da ANSA que classifica como ativo, além de servidor exemplar do MAPA, Beto sente saudades dos bons momentos vividos. O orgulho de ter pertencido ao time, ele conta: “Como artilheiro, recebi várias medalhas e uma delas das mãos do então Ministro da Agricultura Pedro Simon, Senador PMDB-RS até o final de 2014. 

José Ribamar Pereira Camões

“Sou parte da Família ANSA com muito orgulho, sim, senhor!”. Assim, fala o servidor do MAPA, há 47 anos, José Ribamar Pereira Camões, um dos associados e um dos fundadores da Associação Nacional dos Servidores da Agricultura, “quando a ANSA ainda era a ASA – Associação dos Servidores da Agricultura, quando tínhamos a Fazenda Sucupira, uma bela área de lazer dos servidores”, diz saudoso. Sobre as mudanças ocorridas, Camões conta, sem citar nomes, uma história de crises e superação da Associação.

Sair da ANSA? “Nunca, nem depois de aposentado, o que vai acontecer ano que vem”, revela. “Vou passar a frequentar o cantinho dos aposentados e a sede da ANSA. Deixar a minha associação jamais! Sou fiel e acredito que uma das funções do ser humano, mais nobre, é ajudar o próximo. E é isso que eu vejo na nossa Associação”.

E motivos não faltam para manter-se fiel à ANSA. Camões enumera o porquê todo servidor do MAPA deveria estar associado à entidade:

“A atual diretoria inaugurou o serviço odontológico. Temos dois gabinetes odontológicos para atendimento aos sócios e seus dependentes. Temos também convênios com postos de gasolina, por meio do cartão Vale Card com uma rede de postos de gasolina. Funciona como um cartão de crédito. Funciona também para supermercados, farmácias, etc”.  

Camões gosta de uma boa conversa. E se é para falar da ANSA, então, os olhos brilham e o orgulho não tem disfarce. “Minha relação com a ANSA sempre foi muito boa. Uma relação, desde a velha guarda da Associação, de ganha ganha. Usufruo de todos os benefícios e também da amizade com todos os funcionários daqui, associados e da diretoria. Nas confraternizações estou sempre presente. Participo da equipe de futebol society, dos campeonatos, das festas, nas quais sou o maior pé de valsa e gosto muito das comemorações tradicionais que a ANSA realiza como dia dos pais, das mães, das crianças, Natal e tantos outros eventos comemorativos, que nos reúne como uma grande família”.

SOBRE OS 35 ANOS DE EXISTÊNCIA DA ANSA – Camões conta que a Associação começou como uma associação dos servidores da agricultura em Brasília, oriunda também do Rio de Janeiro. “Tínhamos todos os privilégios que uma categoria tem quando se associa: sede, lavanderia, supermercado, lanchonete, farmácia, tudo com preços melhores para os associados, excelentes convênios e outros benefícios”, relembra os anos dourados da ANSA.

As mudanças vieram com os cortes de recursos para as associações, por decisão do Tribunal de Contas da União, o TCU. “Houve proibição por parte do governo de repasse de recursos para as entidades de classe e associações. Com isso, foi enfraquecendo e tirando a possibilidade de termos esses benefícios. E houve uma falência na nossa associação, com casos até de intervenção na referida diretoria”, afirma sem citar nomes.

Um outro detalhe revelado por Camões foi que “a diretoria, em um determinado período,  deixou a desejar e aí perdemos a nossa sede campestre, a Fazenda Sucupira. Perdemos também muitos sócios e agora estamos vivendo um novo momento de recuperação da ANSA. Tivemos que refazer tudo para compor essa nova diretoria e novos sócios. E com o projeto de valorização dos associados, conquistando novos benefícios para ofertar. A luta é grande e a disposição também”,  reafirma Camões, com  seu temperamento alegre e otimista. 

 

Quem é José Ribamar Pereira Camões?

 

Lotado na Coordenação Geral de Orçamento e Finanças (CGOF) do Ministério, Camões associou-se à ANSA e foi um dos fundadores da entidade, no início da década de 80. Aos 68 anos, que faz questão de revelar e dizer que foram muito bem vividos, é formado em Direito e Administração e é analista de finanças e controle. “Gosto da vida, do meu trabalho, da relação com meus superiores e colegas de trabalho, adoro dançar, me divertir, agradeço a Deus a saúde que tenho e a alegria de viver”. De onde tira tanta energia? “Adoro café, tomo de manhã, à tarde e à noite. Duas garrafas por dia e sempre em copo grande”, revela seu segredo. Para quem precisar falar com ele, a resposta é rápida: “É só ligar para o meu ramal, que é 2282. Ou me visitar na minha sala, a 446/Sede Estou sempre lá e às ordens”.

Por Christina Abelha